Pornografia pode causar disfunção erétil

0
417

Que a pornografia é boa isso todos nós sabemos. O que muita gente não sabe é que o consumo desenfreado dos vídeos adultos têm contribuído para o aumento de casos de disfunções sexuais.

Hoje especificamente vou falar da disfunção erétil.

Mas como a pornografia pode influenciar negativamente?

Ora, se observarmos bem veremos que a pornografia não retrata o sexo da realidade. Já falei disso em outros momentos na redes sociais e reforço aqui.

Agora com a internet é que tem piorado. Vídeos com menos de 1 minuto de duração têm sido referência sexual de muitos jovens que estão iniciando suas vidas sexuais e afetivas.

Esses vídeos até mesmo por serem curtos, não conseguem mostrar a realidade do sexo. Todo o contexto de conquista, estímulos mais demorados, troca e prazer feminino são desconsiderados.

O foco se mantem nos genitais fazendo com que esses jovens já cheguem para as rela’voes sexuais achando que as mulheres estão prontas só para receberem a penetração.

Beijo na boca não existe, o corpo da mulher não é explorado e o clitóris quando estimulado é agressivamente esfregado como se fosse uma mesa de DJ. A atenção se dá aos pênis enormes e a penetração funda e forte. Sexo anal sempre presente e em 2 minutos de vídeo temos o que muitos podem considerar como uma relação sexual completa finalizando com uma ejaculação na boca da parceira.

O orgasmo feminino é fingido, simulado. O squirting se faz presente, criando nas mulheres a ilusão de que toda mulher ejacula dessa forma e fazendo com que as jovens que não conhecem seu próprio corpo se culpem e se achem menos mulheres por não terem essa “habilidade

Mas voltemos aos homens, ainda falando de disfunção erétil. Atualmente jovens com seus 20 e poucos anos estão passando por problemas de ereção devido à ansiedade por temor de desempenho.

No desespero procuram médicos urologistas que sem saber causa acabam indicando o uso de viagras, quando na verdade se trata de comportamento sexual que precisa ser resinificado.

Esses jovens acabam por não conseguirem um relação romântica e não desenvolvem afetividade e intimidade a ponto de assumirem de fato que são no sexo. O sexo mecânico e pautado na obrigação de um super desempenho faz com que esse homens se sintam inseguros e ansiosos por não terem uma boa ereção e tempo de ejaculação.

A masturbação passa acontecer apenas com estimulo da pornografia, indiscriminadamente e com o foco no prazer instantâneo. O individuo acaba aprendendo a ter controle de todas as situações no sexo  sozinho mas com dificuldade para se envolver com outras pessoas.

Como evitar e resolver esses problemas?

Primeiramente entender que Sexualidade vai muito além do sexo. Além disso, buscar ajuda profissional e educação sexual. Os medicamentos são importantes, porém servem como paliativos e não atuam na mudança de comportamento.

Ao primeiro sinal de dificuldade, procure um profissional capacitado .

Entenda que o sexo real demanda afeto, intimidade, autoconhecimento e prazer sem cobrança.

Fique atento à quantidade de pornografia que está consumindo e como estão as suas relações.

Viva o sexo real. Entenda o que você e o outro sentem, e se entregue.

Se joga e goza!